Bem-sucedidos – Redação do Momento Espírita

Nos anos 90, uma entrevista com a maior pop star daquela década, trouxe uma revelação impactante.

Jane Pratt, a entrevistadora, indagou sobre o álbum mais recente, relacionamentos amorosos, vínculo com fãs, imprensa, até chegar na pergunta:

Por mais de dez anos, você acumulou uma incrível fama, dinheiro e se tornou uma das mulheres mais reconhecidas e bem-sucedidas no mundo.
Existe algo pelo qual você trocaria tudo isso?

A artista, sem pensar muito, e com uma visível expressão corporal de fragilidade, respondeu:

Sim, por uma mãe.

Em outros momentos ela já havia revelado o vazio interno causado pela morte prematura da mãe, quando tinha apenas cinco anos.

Dizia que, muitas vezes, em meio a todo o burburinho da vida de superstar, tinha vontade de apenas poder telefonar para a mãe, de desabafar.
Sentia a falta daquele colo maternal tão importante.

Estou constantemente em situações em que me sinto completamente frustrada ou perdida, e ninguém pode me ajudar a me sentir melhor.

E sempre me pego dizendo: “Deus, como gostaria de ter uma mãe para quem poder telefonar e apenas falar e falar.
.
.

* * *

Num mundo onde muitos ainda acreditamos que o paraíso está na fama, na riqueza, no poder, os que possuem tudo isso nos alertam seriamente, dizendo que existem coisas muito maiores, muito mais importantes.

Se observarmos os índices de famosos que abandonaram a vida pelas portas do suicídio direto, ou aqueles que o fizeram, pelas vias das fugas indiretas, ficaríamos alarmados.

Infelizes, na grande maioria, pois se alimentam de fontes volúveis, impermanentes e frágeis.

Infelizes, pois todo dinheiro e fama do mundo não são capazes de lhes comprar a paz de espírito, a paz nas relações próximas.
Não lhes compra o equilíbrio emocional.

Curiosamente, vivem insatisfeitos, mesmo conseguindo satisfazer a grande maioria dos prazeres que constituem os sonhos de muitos.

Por que será? O que será que ainda não entendemos, depois de tantos séculos buscando esses caminhos?

Vivemos os tempos das curtidas, dos likes, da visibilidade nas redes sociais, onde parece que qualquer um pode ter sua pequena fama, qualquer um pode aparecer um pouco e ganhar alguns elogios.
.
.

Novo engano, novas frustrações, nova causa de ansiedade.
.
.

Enquanto não buscarmos ser bem-sucedidos dentro de nós, e não lá fora, permaneceremos assim, frustrados e infelizes.

Enquanto não investirmos na descoberta do eu, na importância das relações, da valorização da família, seguiremos sem rumo certo.

Em meio a toda essa neblina de valores relativos e passageiros da sociedade, sempre raia o sol do amor proposto por Jesus.

Prestemos atenção em como é simples e belo.

Ame-se – conhecendo-se, cuidando-se, respeitando-se.
Você é um Espírito vestindo um corpo passageiro.

Ame a quem está ao seu lado.
Não espere ser amado, não crie expectativas em demasia.
Não venda seus princípios para ser agradado.

Ame a Deus.
Procure o seu Criador.
Sinta-se parte da Criação.
Busque a sua essência no Universo.
Ligue-se a Deus pelas criaturas, pela oração e pelas ações no bem.

Redação do Momento Espírita

Em 22.
9.
2022.

 60 total views,  2 views today